domingo, 14 de fevereiro de 2010

CANQUELIFÁ (Cart 2439) - B0 - Em memória a José Manuel Justino Laranjo ... e a todos os outros. (I)

Joaquim Laranjo, Operador Cripto, 3. º Lugar no seu curso, mobilizado em rendição individual para o CTIMoçambique.
Com a morte de seu irmão José Laranjo, contra sua vontade, o seu pai conseguiu desmobilizá-lo. Ficou adstrito ao BRT (Trafaria) até final do seu tempo de tropa, 40 meses. Frequentador assíduo dos nossos Almoços de Convívio, em memória de seu irmão, foi sempre considerado como um dos nossos, pertence ao Batalhão de Artilharia n. º 2857 por própria honra.

     Em Memória a José Manuel Justino Laranjo, 1. º Cabo Aux Enf. da Companhia de Artilharia n. º 2439, com sede em Canquelifá ... e a todos os outros, que com ele se viram envolvidos em acidente militar ocorrido no dia 07 de Outubro de 1969.

     «No dia 07 de Outubro de 1969, pelas 06H30 saiu, de Canquelifá para Dunane, uma coluna, como sempre, precedida por uma equipa de picadores, acompanhada de dois grupos de combate da Cart 2479, um que ficou ao longo do itinerário montando segurança, outro que acompanhou até ao limite do subsector.

     Nada de anormal foi notado, tendo a coluna e o pessoal da segurança, regressado ao Aquartelamento, cerca das 12H00.

     Às 15h00, nova coluna saiu de Canquelifá para Dunane, decorrendo o percurso sem incidentes, mas, no regresso, a cerca de 2 km do Aquartelamento, uma segunda viatura accionou uma mina A/C reforçada, tendo ficado quase destruída, e gravemente feridos todos aqueles que nela seguiam.
    
     O rebentamento foi ouvido no Aquartelamento cerca das 16H30.
    
     Pouco depois chegava uma viatura GMC que vinha à testa da coluna, e que passara no local sem accionar a mina, informando do que sucedera e pedindo socorros, pelo que saiu, imediatamente uma força constituida por um Grupo de Combate, 2 Secções de Picadores e Pessoal de Enfermagem, tendo-se cruzado com um Unimog que trazia alguns feridos, pois ficara um, no local do desastre, entalado debaixo da viatura.

     Montada a segurança, iniciou-se uma picagem da zona, ao mesmo tempo que se libertava dos destroços, o ferido que faltava socorrer.

     Depois, já quase noite, ao reorganizar-se a coluna de regresso, um Unimog accionou outra mina, não detectada, sobre a qual já haviam passado várias viaturas, daí resultando mais feridos e a destruição daquela. Finalmente posta em movimento, uma coluna regressou ao Aquartelamento pelas dezanove horas.

     Morreram, Em consequência dos ferimentos sofridos:

          1. º Cabo Aux.Enf. - José M. J. Laranjo / Cart 2439
          Soldado               - Manuel de Jesus Ferreira / Cart 2439
          Soldado               - Joaquim Ferreira Carvalho / Cart 2439
          Soldado               - Manuel José C. Parreira / Cart 2439
          Soldado Ultram     - Satone Colubali / Cart 2479

    Ficaram feridos gravemente, sendo evacuados para o HM 241, os seguintes militares:
     CART 2439
          Soldado               - Fernando da Silva Barbosa
          Soldado               - Avelino Nogueira de Sousa
          Soldado               - José Joaquim Alves da Costa
          Soldado               - José Jerónimo da Silva
     CART 2479
          1. º Cabo             - Francisco Custódio O. Marques
          Soldado               - Fernando da Silva Duarte
          Soldado Ultram     - Braima Seide
          Soldado Ultram     - Aliu Jalo
          Soldado Ultram     - Sajo Baldé
          Soldado Ultram     - Amaduri Camará
          Soldado Ultram     - Guilage Baldé
          Soldado Ultram     - Mamadu Colubali

     Faleceu também no acidente, uma criança de 5 anos - Babucar Jamanca - que vivia no Aquartelamento, e que seguia na coluna por um ter ido Dunane visitar o avô, sua única família.
Justino José Manuel Laranjo, Natural de São José de Lamarosa, concelho de Coruche,








Pereira da Costa, ex-Furriel miliciano Oper Info CCS / Bart 2857

(continua)

1 comentário:

  1. Fiz parte dessa famigerada coluna.
    Passei por 2 minas ao levar os feridos para
    Canquelifá. À minha passagem não explodiram.
    Voltei com reforços e, de novo passei por elas.
    Não rebentaram.
    Dia de sorte !

    M. Loja Nunes
    ex-furriel milº da Cart 2439

    ResponderEliminar